Esqueça a ideia de que os bebês não precisam de ajuda para aprender a engatinhar, andar, falar e pensar. Pesquisas neurológicas recentes provaram que é possível desenvolver a inteligência e habilidades da criança através de uma serie de estímulos. Até os três anos de idade, as conexões cerebrais acontecem com mais velocidade, por isso é o período ideal para melhorar as condições psicomotoras do bebê. “Não se trata de tornar a criança mais esperta ou mais veloz. Mas estimulá-la a passar por cada etapa do crescimento com mais qualidade”, explica a psicóloga Fernanda Roche, coordenadora do projeto Criança em Foco, que oferece cursos de estimulação para crianças de 1 a 18 meses. “As pessoas se assustam quando veem as crianças fazendo determinadas coisas, acham elas muito espertas. Às vezes elas estão fazendo algo normal para a sua idade, os pais é que não conhecem bem todas as fases do desenvolvimento do filho”, explica a psicóloga, que faz um alerta: também é preciso respeitar o ritmo da criança. Ela não precisa de estimulo o tempo todo e nunca deve ser acordada para uma pratica, por exemplo. “Não pode haver excesso de expectativa. Cada criança tem um desempenho diferente”, conta.

Conhecer o seu bebê é o primeiro passo para estimular o desenvolvimento

Uma vez por semana, a advogada Fernanda Franco e o filho Pedro, de três meses e meio, têm um encontro especial. Com a intermediação da psicóloga Fernanda Roche, a mamãe de primeira viagem tem a oportunidade de observar melhor o seu bebê, reconhecer as suas reações e aprender novas maneiras de estimular o desenvolvimento de seu filho de forma integral. O curso ‘Conhecendo o seu Bebê’ acontece no espaço de desenvolvimento Criança em Foco, tem cinco módulos para o entendimento e observação do desenvolvimento emocional, motor, perceptivo e de hábitos de rotina, além de duas vivências práticas que incluem massagem e estimulação.

Rotular uma criança é quase uma reação instintiva. Ao primeiro sinal de agressividade, lá vão os adultos classificá-la como “pestinha”, “mal-educada”, “chata”. Não se olha o contexto, nem se percebe o motivo de tal comportamento. E tem também a criança sempre “boazinha”, “obediente”, que não costuma preocupar ninguém. Os pais devem ficar atentos para o que seus filhos tentam comunicar, muitas vezes sob a forma de ações consideradas “inadequadas”

Homens não prestam (ou são todos iguais). Mulheres são fúteis e superficiais. Meninos precisam ser corajosos, agressivos e não levar desaforo para casa. Meninas devem ser dóceis, delicadas e carinhosas… Os estereótipos passados por gerações habitam o imaginário e, pior, muitas vezes conduzem as ações educativas de pais e mães com suas crianças

O espaço de Desenvolvimento Criança em Foco tem diversas atividades ideais para estreitar o relacionamento entre pais e filhos. Participe com seu pequeno das oficinas de artes, das brincadeiras cantadas, jogos e desafios, estimulação de bebês e oficina em inglês. Em janeiro e fevereiro também há uma oficina de teatro, sempre às sextas-feiras, das 10h […]

A clássica cena de birra ou escândalo em uma loja ou supermercado assombra pais de crianças pequenas. Alguns acham que é apenas uma questão de tempo, uma experiência inevitável. Mas não precisa ser assim

Pais sonham com um manual de instruções que acompanhe o bebê: Um guia de como agir nas mais diversas situações, como no desenho Robôs, em que o pai abaixa o volume do choro do filho até desligá-lo. Um suspiro de inveja percorreu a plateia durante a cena, quando fui assistir ao desenho. Era quase possível ouvir os pensamentos de pais e mães: “Por que meu filho não veio com esse opcional?”, ou: “Onde compro esse manual?”

Contar com bons profissionais para tomar conta dos filhos tem sido, ao longo dos anos, um problema para muitas mães. Com base em sua própria experiência, a psicóloga clínica Fernanda Roche cria um curso destinado à capacitação de babás. Em cinco módulos de duas horas de duração, as alunas receberão informações sobre desenvolvimento e psicologia […]

O episódio “Babá: quando a escolha é certa”, do “Mãe & cia.” Desta quarta-feira, mostrará histórias que deixam para trás a má fama que caiu sobre a profissão. GNT – Programa “Mãe & Cia” – agosto de 2000

A psicóloga clínica Fernanda Roche lança no próximo dia 13, em Ipanema, o curso de capacitação e treinamento de babás. Serão abordados desde aspectos éticos da profissão, desenvolvimento infantil, orientações pediátricas e odontopediátricas até questões ligadas à segurança em locais públicos. O curso será realizado posteriormente na Barra. Jornal O Globo – Jornal da família […]


Login