fachada O Criança em Foco oferece propostas que têm como finalidade colocar o saudável desenvolvimento da criança no centro da atenção da família e dos profissionais que auxiliam na dinâmica da casa e da escola. Busca despertar a capacidade de observação de cada um, fortalecer os vínculos afetivos em torno das crianças em tenra idade e fornecer aos seus cuidadores as informações a respeito dos mecanismos da infância, suas necessidades e urgências, a fim de propiciar um espaço próprio para o desabrochar de potencialidades. Visa ainda ampliar a comunicação entre todos os adultos envolvidos na formação e nos cuidados diários, incentivando a unidade de linguagem com a criança.

A metodologia 1,2,3 e Já propõe um projeto de Educação para o Cuidado, proporcionando o contato gradativo com outras crianças, por fases do desenvolvimento, entre figuras de apego confiáveis, seguras e que recebem suporte e formação profissional permanentes.
Nosso projeto pedagógico é sócio-interacionista, atrelado às àreas da Teoria do Apego, da Mediação de Aprendizagem, da Neurociência e da Clínica de Psicanálise com crianças.
01 02
Nosso Espaço de Desenvolvimento permite aos pais um estreitamento de vínculos afetivos e maior conhecimento das fases de desenvolvimento de seus bebês e crianças pequenas através da observação e vivências compartilhadas. Leia Mais...
05 06 Os “quatro pilares da educação”, expressão nascida do relatório da Unesco sobre a educação do futuro, publicado em 1999, sob a direção de Jacques Delors, trazem as dimensões inseparáveis da educação em sua perspectiva integral: aprender a aprender, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a conviver. Leia Mais...
03 04 Ao longo de muitos anos de acompanhamento de pais de bebês e crianças bem pequenas, com frequência recebemos uma demanda grande dos pais sobre outras alternativas de cuidado e educação, tão cuidadosa como a que vimos oferecendo em nosso Espaço de Desenvolvimento e em nosso criterioso Curso de Formação de Babás. Leia Mais...
07 08
Atendimento clínico especializado em Depressão Pós-parto, Distúrbios de sono e alimentares, Distúrbios comportamentais, Transtornos do desenvolvimento infantil, Dificuldades na adaptação escolar e habilidades sociais. Leia Mais...

Paradoxal é a palavra usada pela pedagoga Laura Monte Serrat Barbosa, especialista em Psicologia Escolar e da Aprendizagem e mestre em Educação, para definir a educação que os pais dão hoje em dia. “De um lado, a criança não pode sair, é o medo de ser sequestrada, assaltada, atropelada. De outro, dentro do espaço protegido, ela pode tudo.” O pequeno “dono da casa” decide o que assiste na tevê, o que come, seus horários.

Práticas esportivas e lazer devem atender a necessidades e a características individuais

Para cada perfil de criança, uma atividade especifica. Pediatras e profissionais especializados em comportamento infantil deixam claro que esportes e práticas de lazer devem ser escolhidos de acordo com o gosto, as necessidades e o temperamento das crianças.

Quando teve a primeira filha, há sete anos, a psicóloga Fernanda Roche encarou o problema: confiar ou não numa babá? Das candidatas que entrevistou, nenhuma lhe passou firmeza e ela acabou socorrendo-se com uma vizinha estudante de pedagogia, que a ajuda nas horas vagas. Veio a segunda filha, prematura, e Fernanda fechou temporariamente o consultório […]

‘Não consigo repreender a babá. Fecho os olhos para o que ela faz de errado, porque morro de medo que se revolte e maltrate minha filha. A cada dia me sinto mais refém da situação’

Cursos de qualificação agitam o mercado. Profissionais ganham em torno de R$ 400

Uma boa referência já não é mais requisito básico na hora de contratar uma babá ou baby-sitter. Hoje em dia as mães querem mais do que isso: elas procuram no mercado profissionais qualificadas. E cursos para enriquecer o currículo não faltam, nem mesmo candidatas – dados das agências apontam que nos últimos dois anos, mais de 700 mulheres fizeram curso de especialização para babás.

Outro profissional do lar que deve sempre se especializar e se atualizar é a babá. Elas precisam aprender cuidados com as crianças, novos tratamentos e técnicas de ensino e diversão. O Capacitação Solidária, um dos projetos do Comunidade Solidária, oferece o curso gratuito “Jovens Cuidadores de Crianças”, que prepara babás nas aulas da Associação Brasileira de Educação Infantil.

Depende da babá para que a gente possa trabalhar sossegado, é preciso ter alguém cuidando dos nossos filhos

A partir dos anos 70, as mulheres foram trabalhar fora em busca de independência, financeira e pessoal, para ter horizontes mais amplos que marido, filhos e casa. Hoje, 44% das mães brasileiras têm uma carreira fora do lar, não só por vontade, mas por necessidade mesmo, já que 27% delas são solteiras. E, mesmo no caso das casadas, como a gente bem sabe, não dá mais para pagar mensalidade de escola, convênio etc. etc. etc. ( e põe etc. nessa conta) com um salário só.

Muitos pós e contras quando chega a hora de decidir entre uma babá, a avó e o berçário

No fim da licença maternidade o grande dilema da mãe é com quem deixar o bebê. Todas as opções têm seus pontos fracos. Berçários facilitam a transmissão de doenças, alertam os médicos. Avós interferem na educação, temem as mães. E quanto às babás, o fator confiança é a grande dúvida. Mas quando esta terceira alternativa é a escolhida pela família, antes de partir para câmeras escondidas, é possível cercar-se de cuidados para acertar na escolha da profissional.

Ajoelhar no milho, dar a mão à palmatória, ficar trancado no quarto escuro… As punições aplicadas há décadas doíam no corpo e na alma das crianças da época, que se transformaram nos pais e avós de hoje.

Exageros e paparicos de quem curte o primeiro filho Toda mulher jura que na sua vez vai ser diferente. Diz que não há sentido naquele excesso de zelo, tão extremado que inclui proibir outras pessoas, à exceção do pai e da avó, de pegar o bebê no colo; exigir que visitantes em geral lavem as […]


Login