Histórico do Grupo

A psicóloga Fernanda Roche procura reunir neste espaço os 20 anos de estudos e prática em psicodiagnósticos, psicoterapia com orientação psicanalítica de crianças e adultos e de acompanhamentos aos pais à sua própria vivência materna.

Como tantas outras profissionais, dividida entre seu trabalho e a tarefa única de cuidar de suas duas filhas questionou-se, por diversas vezes, sobre a capacidade das babás de compreender, de fato, o mundo das crianças. Surgia, então, o projeto do Curso de Formação de Babás, que deu início ao Projeto CRIANÇA EM FOCO.

Nascida e criada no Rio de Janeiro e mãe de duas meninas, formou-se em Psicologia pela PUC/RJ em 1991 e cursou pós-graduação em Educação Infantil pela mesma universidade. Atuou em hospital pediátrico (Gaffrée e Guinle), clínica psiquiátrica e em consultório particular com crianças, adultos e famílias. Participou e coordenou grupos de estudos em psicanálise e medicina psicossomática e atuou em acompanhamentos a pais de bebês prematuros.

Partindo para desenvolver seu trabalho mais voltado à área da prevenção e de promoção da saúde, em 1997 idealizou e iniciou as pesquisas para dar forma ao Projeto Criança em Foco. Neste percurso, durante três anos dedicou-se à aproximação com áreas afins, como pediatria, odontopediatria, neonatologia, neuropediatria, fonoaudiologia, nutrição, psicomotricidade e educação.

A partir desta iniciativa, contando com uma equipe multidisciplinar autônoma e em permanente atualização, desde março de 2000 vêm acompanhando famílias e profissionais que tenham como função ajudar a cuidar de crianças em casa e nas escolas de educação infantil.

Em 2002 mudou-se com sua família para Curitiba, onde implantou o Projeto Criança em Foco com resultados ainda mais surpreendentes.

Fernanda Roche é membro voluntário da ONG Criança Segura /Safe Kids Brasil, atuou por três anos como voluntária no Natal do HSBC, cuidando das crianças do coral do Palácio Avenida (Curitiba /PR), realiza atendimento clínico em consultório particular com crianças, adolescentes e adultos, presta consultoria a escolas de Educação Infantil, a redes públicas municipais em Educação Infantil e a revistas especializadas em desenvolvimento infantil. Dirige e supervisiona a unidade de Curitiba e coordena a implantação do projeto em outras cidades no Brasil.

Concluiu com mérito o Mestrado em Early Years Development and Infant Mental Health (Desenvolvimento e Saúde Mental Infantil nos primeiros anos de vida) no Tavistock Centre, em Londres, na Inglaterra. É membro da AIMH UK – Association for Infant Mental Health UK. Teve seus trabalhos apresentados em Congressos nacionais e internacionais.
“A criança precisa estar em contato com pessoas preparadas para propiciar o melhor desenvolvimento de suas potencialidades com estímulos adequados, entendimento de suas necessidades e acima de tudo, afetividade.” (F.R.)

O Projeto teve seu início em março de 2000 no Rio de Janeiro, com unidades em Ipanema e na Barra da Tijuca, e em dois anos de funcionamento formou quatrocentas profissionais e atendeu a diversas famílias em encontros semanais para orientações acerca do desenvolvimento infantil. Contou com uma equipe de excelentes profissionais autônomos composta por psicólogas, pediatras, nutricionista, educadoras, musicoterapeutas e consultoras financeira e doméstica.

Em 2002, devido à mudança de sua coordenadora geral para a cidade de Curitiba, no Paraná, o Projeto ganhou mais duas unidades, em Niterói, onde nos dois anos seguintes foi desenvolvido um sério trabalho exclusivamente com Formação de Babás pela psicóloga Marisa Vidal e em Curitiba, onde desde 2002 o espaço vem atendendo a inúmeras famílias em diversas propostas e se firmando cada vez mais entre a sociedade como uma instituição séria, dedicada à atualização e comprometida com os bons valores.

De outubro de 2004 a janeiro de 2007, a unidade do Rio de Janeiro em Ipanema foi reaberta, com sua coordenação local terceirizada e manteve o compromisso de levar às famílias a mesma qualidade em serviços e atendimento personalizado, focado no Curso de Formação de Babás. Enquanto esteve ativa, esta unidade manteve a mesma séria equipe multidisciplinar que colaborava com o sucesso do projeto desde 2000, ainda sob a coordenação geral de Fernanda Roche.

Em Curitiba, o projeto Criança em Foco vêm ampliando ainda mais seu alcance, sua equipe multidisciplinar e áreas de atividades, sempre comprometida em ouvir as famílias e com a ética, atualização, qualidade de serviços e responsabilidade social. Desde 2002 vimos atendendo aos nossos clientes em parceria com a rede Baby Dreams House, onde foi cuidadosamente projetado um cenário de quarto de criança para que nossas atividades aconteçam de forma confortável.

Em outubro de 2005, devido ao grande alcance de nossas propostas e sempre visando a excelência na prestação de serviços e consultorias na área de Desenvolvimento Infantil, foi inaugurado o Espaço de Desenvolvimento Criança em Foco, pioneiro no sul do país.
Com um projeto arquitetônico idealizado especialmente para permitir o pleno desenvolvimento das atividades com bebês e crianças desde recém-nascidos até seis anos de idade, nosso espaço acolhe com muito conforto, higiene e carinho os bebês, as crianças, seus familiares e cuidadores para uma prazerosa convivência.

O projeto Criança em Foco guarda o diferencial de direcionar seu interesse, estudo e atuação exclusivamente a cada criança em especial, a cada família, a cada mãe, a cada pai, a cada cuidador em desenvolvimento como pessoas que fazem parte de uma engrenagem, que precisa funcionar de forma saudável em torno das crianças e mantém cuidadosamente, há quase treze anos, a prerrogativa de ficar distante do mercado de agências de babás.

Desde 2007 com sua mudança para Londres para cursar seu Mestrado, Fernanda Roche confiou com grande resultados na capacidade técnica e de liderança das psicólogas Fernanda Gorosito e Maria Gabriella Ribas, que além do dom inato inquestionável com crianças pequenas e grande sensibilidade clínica, partilham dos mesmos ideais, valores e afinidades teóricas. Esta parceria complementa ainda mais o compromisso de manter os clientes satisfeitos, sabendo ter no nosso espaço no Brasil uma equipe que aplica de fato o que se estuda na Inglaterra no reconhecido Tavistock Centre.

Em 2010, com Fernanda Roche já de volta às atividades no espaço, foram implantados novos programas baseados na experiência da coordenadora na Clínica Tavistock, além de grupos de estudos e supervisões com a equipe, e ciclos de palestras continuados para pais e profissionais de saúde e Educação.

Em 2012, juntou-se à empresa seu marido, Enrique Roche, executivo com larga experiência em empresas nacionais e internacionais. Após se desligar do HSBC, onde trabalhou por 10 anos em atividades ligadas a marketing e gestão de negócios, incluindo um período de 3 anos em Londres, Enrique iniciou um processo de avaliação de estratégias de crescimento do Criança em Foco.

Este exercício demonstrou que o modelo atual se provou bem sucedido, mas alcançou um ponto de difícil escalabilidade. Após algumas discussões e análises, pareceu natural aproveitar todo este histórico na área de desenvolvimento infantil para agregar a oferta de Berçário / Pré-escola à faixa de público onde já foram estabelecidos o nome e os serviços oferecidos pelo Espaço de Desenvolvimento Infantil.

A motivação cresceu oriunda da nossa escuta das necessidades dos pais que não encontram cuidadores especializados como as que viemos formando ao longo dos últimos anos, por uma diminuição deste mercado profissional, além dos pais que sempre confiaram mais em centros de educação infantil do que em babás.

Com a oferta deste novo serviço, foi necessário deixar o Shopping Novo Batel, onde o Criança em Foco estava instalado desde 2005, e mudar para um imóvel maior, uma casa na Rua Augusto Stellfeld com a Alameda Presidente Taunay. Em um terreno de cerca de 1.500m2 e área construída de mais de 900m2, a nova casa do

Criança em Foco está situada no coração do Batel, em um dos pontos mais nobres de Curitiba, tanto do ponto de vista comercial quanto residencial.

E assim, em 2013, nasceu o 1,2,3 e já: um projeto de educação para o cuidado. E com ele, passamos a oferecer soluções completas para as famílias.

Com base em vários estudos e na observação prática e clínica de diversas famílias, a recomendação do espaço Criança em Foco sempre foi evitar colocar os bebês em berçários ou pré-escolas antes dos três anos. Para as famílias em que isto ainda se verifique possível, continuaremos a lhes dar todo o suporte, que sempre fez a diferença. No entanto, é evidente que nem sempre isso é possível.

Com a consolidação das mulheres no mercado de trabalho e do seu papel na estrutura familiar, há uma dificuldade cada vez maior das famílias se estruturarem para evitar este desprendimento precoce. Nem todas conseguem ter um esquema de trabalho com horário flexível ou dispor de uma babá ou parente que possa ficar com os bebês, dependendo, às vezes poucos meses após o nascimento, de um berçário. Observa-se também situações em que a mãe consegue ter uma disponibilidade parcial, dependendo de um berçário apenas em determinados horários e/ou dias.

Esta demanda é observada em algumas das famílias que frequentam nosso Espaço de Desenvolvimento e, em determinado momento, mesmo não querendo deixar de fazer as atividades, precisam colocar os filhos em um berçário. Já algumas outras famílias têm os filhos em berçários em horário parcial e continuam frequentando as atividades do Espaço de Desenvolvimento, muitas vezes de forma a minimizar a separação.

Até então nos propusemos a dedicar exclusivamente nossa experiência, estudos, capacidade de formação profissional e atenção àquelas famílias que optavam e conseguiam contar com o apoio de cuidadores como avós ou babás, por acreditar, como tantos, que já havia muitas iniciativas que talvez dessem conta da necessidade dos pais em oferecer ambientes seguros, cuidadosos e com profissionais preparados para oferecer cuidado, desenvolvimento e educação ideais à fase de zero a três anos. Até então, acreditávamos na urgência do treinamento de babás, por serem estas profissionais carentes de uma qualificação específica. Tratava-se, muitas das vezes, de pessoas talentosas, que gostavam de crianças, possuíam boa vontade, mas que não tiveram oportunidades escolares avançadas. Em outros casos alertávamos as famílias de perfis inadequados e os ajudávamos a buscar alternativas dentro do que dispunham em suas realidades.

Nossa motivação cresceu ainda mais oriunda da nossa escuta das necessidades dos pais que não encontram cuidadores especializados como as que viemos formando ao longo dos últimos anos, por uma diminuição deste mercado profissional, além dos pais que sempre confiaram mais em centros de educação infantil do que em babás.

Através dos resultados obtidos com a Formação de Babás, confirmamos nossa crença de que para cuidar, é preciso ser cuidado. Através de nossa vasta experiência com treinamento de berçaristas na esfera pública e privada, percebemos também que muitas das vezes, a formação cuidadosa que estas babás recebem, através da iniciativa generosa de pais, se mostra mais atualizada e completa do que a que recebem muitas atendentes de berçário, sem uma política de formação continuada consistente.

Contudo, a realidade hoje das famílias é de enorme dificuldade em encontrar pessoas com perfil e disponibilidade para o trabalho doméstico com crianças, preenchendo requisitos básicos para merecer este investimento. Continuaremos formando e treinando babás e acreditando que não devemos ser deterministas em relação a elas, afirmando que “babás são todas iguais”. Não são, como não são professores de Educação Infantil ou berçaristas, como não somos nós, pais e avós. Como não são os nossos bebês. Assim, no desenrolar de todas estas ricas experiências, decidimos hoje enfrentar o desafio de levar adiante a resposta ao pedido dos pais: uma proposta que sirva como uma “solução completa” para as famílias.

A metodologia 1, 2, 3 e…já! nasceu desta necessidade. De uma urgência das crianças, às vezes dos pais. De uma colheita de longos anos dedicados a promover um espaço de educação de cuidado. É preciso considerar a educação para o cuidado de forma mais ampla: incluir o cuidado com a natureza, com o trânsito, com a saúde, com o outro, com os menores e mais velhos, cuidado com a comunicação e relacionamentos, cuidado com as coisas e brinquedos e finalmente, o cuidado com a ética e a transparência. É preciso oferecer aos pais e às suas crianças, desde cedo, o modelo de educação em que acreditamos, com o espaço escolar sendo a extensão das suas casas. Mais uma vez, seguiremos inovando e apostando no interesse das famílias curitibanas e naquelas que escolheram Curitiba por ser esta uma cidade com imenso potencial de acolhida a famílias com crianças pequenas.

Login